quarta-feira, 10 de março de 2010

Diretriz Dengue- Perguntas:



Pode variar de 29% a 56%. Sintomas clínicos: febre inespecífica de curta duração acompanhada de faringite, rinite e tosse; principalmente em lactentes e pré-escolares. Esse quadro pode vir acompanhado de exantema máculo papular.

2. Sendo a dengue uma doença viral aguda, qual o seu período de incubação e qual o período de evolução febril geralmente esperado?
O período de incubação é de 3 a 15 dias, em geral de 5 a 6 dias. O período febril tem duração de 7 ou menos dias.

Dengue clássico, em geral, se inicia com febre abrupta, com temperaturas elevadas (39º/40ºC), cefaléia, mialgia, prostração, artralgia, anorexia, astenia, dor retro-orbitária, náuseas e vômitos, exantema, prurido cutâneo, por vezes hepatomegalia, dor abdominal, principalmente em crianças. Pode haver pequenas manifestações hemorrágicas (gengivorragia, hepistaxe, petéquias, hematúria, metrorragia, sangramentos gastrointestinais). Duração em média de 5 a 7 dias, com regressão dos sintomas, ocasionalmente permanecendo a fadiga.

Na febre hemorrágica da dengue (FHD) os sintomas iniciais são semelhantes ao da dengue clássica, mas no 3º ou 4º dia há um agravamento do quadro com manifestações hemorrágicas espontâneas (petéquias, equimoses, púrpura, sangramento do trato gastrointestinal importante), falência circulatória (devido extravasamento do plasma). Das manifestações hemorrágicas a mais encontrada é a prova do laço positiva acompanhada de trombocitopenia, hemoconcentração e hipotensão com diminuição da pressão diferencial.

Os sintomas iniciais são semelhantes aos da dengue clássica, sendo que, no 3º/4º dia de febre o quadro se agrava com sinais de debilidade profunda, agitação ou letargia, dor abdominal intensa, palidez da face, pulso rápido e débil, hipotensão convergente, manifestações hemorrágicas espontâneas, derrames cavitários, cianose e brusca diminuição da temperatura. Laboratorialmente valores crescentes do hematócrito e hemoconcentração devido extravasamento do plasma, que é a principal característica fisiopatológica associada ao grau de severidade da FHD e síndrome choque do dengue (SCD). A manifestação hemorrágica mais encontrada é a prova do laço positiva. Trombocitopenia, com hemoconcentração concomitante. Nos casos graves de FHD e SCD o maior número de casos de choque ocorre entre o 3º e 7º dias da doença, geralmente precedido por dores abdominais. É de curta duração e pode levar a óbito de 12 a 24 horas ou à recuperação rápida após terapia anti-choque. Leocopenia, embora possa ocorrer leococitose, linfocitose com atipia linfocitária associadas a trombocitopenia. Deve-se dar atenção à dosagem do hematócrito e hemoglobina para verificação da hemoconcentração que indica a gravidade do caso e orienta o tratamento. Ocorrem alterações no coagulograma (aumento do tempo de protrombina, tromboplastina parcial e trombina) com diminuição do fibrinogênio fator VIII e XII, antitrombina e antiplasmina. Temos também diminuição da albumina e alteração das enzimas hepáticas.

Dra. Priscila Gomes.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário